Jacqueline Lee "Jackie" Bouvier Kennedy Onassis foi a esposa do 35.º presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy, e serviu como primeira-dama dos Estados Unidos durante a presidência de seu marido, de 1961 até 1963, quando ele foi assassinado. Hoje, ela faria 85 anos se estivesse viva.
   Natalie Portman foi eleita para interpretar Jacqueline Kennedy nos cinemas. Nós do fashionholic nos inspiramos a relembrar o estilo da primeira-dama mais copiada desde então. Jackie Kennedy era admirada por sua discrição para se vestir e esta foi uma das lições que aprendemos também no seriado “House of Cards”, pela construção do figurino da personagem Claire Underwood.






   Alguns elementos se tornaram emblemáticos depois que foram usados pela ex primeira-dama, como por exemplo o tailleur de tweed em aparições formais ou o trench coat para o dia a dia. A qualquer momento, porém, ela poderia surgir com seus inseparáveis óculos grandes e o lencinho amarrado na cabeça, prática que se tornou a referência mais forte para quem segue o seu estilo até hoje, e que Jackie aplicava apenas para seguir a moda dos anos 60.




   Apesar de ter sido casada com o ex-presidente John F. Kennedy, a fama eterna de Jackie foi traçada por ela mesma. Graças a sua elegância fora de série, a ex-primeira dama dos EUA é celebrada até hoje no mundo fashion. Amante de Coco Chanel e Christian Dior, seus looks seguiam um estilo clássico e feminino, com direito a pérolas, chapéus pillbox e conjuntos de ternos e saias lápis em tons pastel. Lá pelos anos 70, quando foi casada com o magnata grego Aristóteles Onassis, seu estilo mudou para uma estética casual chic. Pense em camisas listradas, calças largas, lenços de seda e espadrilles.






   Uma década depois, nos anos 70 e já em seu segundo casamento, agora Jacqueline Kennedy era conhecida como Jackie O, dona de um guarda-roupa mais leve e casual.
   Nessa época os óculos ficaram ainda maiores e podiam ficar sobrepostos aos lenços na cabeça, que cobriam completamente o cabelo de Jackie. Os lenços de tons terrosos e com padronagens invernais serviam os climas mais frios…









   
   Depois de sua segunda viuvez, Jackie deixa os lenços e chapéus de lado para, em meados dos anos 70, se tornar editora da Viking Press, que depois se transformou na Doubleday. Ela trabalhou até poucos dias antes de sua morte e continuou como referência de estilo até o fim de seus dias. 
   Um feliz aniversário para esse ícone de estilo. 
Beijos de salto, Rafa.



Deixe um comentário