Será que não fere alguém? Pois é...Existem poucas bolsas no mundo mais famosas que a Birkin. E nenhuma mais cara do que algumas versões dela também. Lançada há mais de 30 anos pela grife francesa Hermès, inspirada por e batizada em homenagem à atriz Jane Birkin, a bolsa tem verdadeiras colecionadoras famosas, como Victoria Beckham e até a blogayra Thassia. Diz por aí que a mulher de David Beckham tem em seu closet em torno de 100, e que sua coleção vale cerca de US$2 milhões. E isso sem contar a Birkin vegetariana que o PeTA mandou para ela como pedido/protesto, lembra?


   Mas a história da Birkin é cheia de exageros mesmo: seu preço é exorbitante (a mais barata custa atualmente US$15 mil), a mais recente vendida em leilão figura como a bolsa mais cara da história, sua lista de espera já chegou a três anos (o fato inspirou até um episódio de “Sex and the City”). Depois de fazer o modelo apenas sob encomenda, a Hermès abriu a guarda e hoje em dia você pode encomendar a sua em qualquer loja.
   Demora alguns meses para chegar (pode ser até um ano), já que a lista de clientes e suas demandas é enviada a Paris de meses em meses.


   Mas o último escândalo descoberto pelo PeTA pode mudar a história do modelo tão icônico. A organização que luta pelos direitos dos animais divulgou, após uma longa investigação, vídeos feitos clandestinamente nos criadouros de crocodilos da Hermès no Texas em que os animais aparecem sofrendo maus tratos inimagináveis – seja enquanto vivos ou a ponto de serem abatidos – pelas mãos de funcionários do local (veja no YouTube). A situação é grotesca e revoltante, e o PeTA chegou a fazer um abaixo-assinado online pedindo que a maison pare de usar couro de crocodilo em suas peças.      Infelizmente sabemos que isso não tem a menor chance de acontecer, mas nada como a própria Jane Birkin na causa para estremecer a Hermès.


   A atriz e cantora soltou um comunicado pedindo à grife procurar outro nome para sua bolsa: “Após ser alertada sobre as práticas cruéis sofridas por crocodilos durante seu abate para a produção de bolsas Hermès que carregam meu nome, pedi ao Grupo Hermès que renomeie a Birkin até que melhores práticas, coniventes com as normas internacionais, sejam implementadas no processo de produção dessa bolsa”, disse Jane em um comunicado oficial divulgado ontem pela imprensa.


   Após o PeTA agradecer publicamente o apoio de Jane Birkin, não teve jeito: a Hermès teve que soltar um comunicado oficial. Nele, a marca diz que não ficou ofendida com a declaração da atriz e que compartilha o mesmo sentimento que ela quanto ao vídeo divulgado pelo PeTA, revelando que já está rolando uma investigação no criadouro do Texas. Segundo eles, qualquer prática que não cumpre as regras serão corrigidas e sancionadas. A Hermès fez questão de afirmar também que o tal criadouro não pertence a eles e que o couro de crocodilo fornecido pelo local não é usado na fabricação de Birkins: “A Hermès exige de seus parceiros os mais altos padrões de tratamentos éticos dos crocodilos. Por mais de dez anos, organizamos visitas mensais a nossos fornecedores. Controlamos suas práticas e sua conformidade com os padrões de abatedouro estabelecidas por especialistas veterinários e pela Fish and Wildlife (organização federal americana pela proteção da natureza) e com as regras estabelecidas pela ONU na Convenção de Washington de 1973 que regula a proteção de espécies em perigo.”

   Seria o fim da bolsa????














   Ninguém espera que a Birkin vá mudar de nome, mas o que esperamos sim é que a Hermès seja mais vocal nesse assunto, não precisando de ameaças. Há regras, e elas precisam ser cumpridas.

fonte: Petiscos, Marie Claire, People, US Magazine, Frame.
Beijos de salto, Rafa.


Deixe um comentário