O clássico, imortalizado pela Burberry foi produzido na época da Primeira Guerra Mundial por Thomas Burberry. O antecessor dotrench coat, o Tielocken, foi criado em 1895 e era feito de um tecido que revolucionou a história: a gabardine, criado e patenteado por Burberry. O que o tecido tinha de inovador? O fato de ser impermeável, mas ao mesmo flexível e confortável, ideal para o clima úmido londrino.


   Sucesso de vendas assim que foi lançado, o Tielocken passou a ser usado pelos soldados britânicos, prova da qualidade e desempenho da peça. A pedido do Ministro da Guerra inglês, o sobretudo de Burberry passou a vestir oficialmente os soldados da linha de frente. Com algumas alterações, como a implementação dos dez botões duplos, nasceu o trench coat em 1914.

   Necessário para os soldados em guerra, o trench coat – trench significa trincheira, daí o nome – foi aos poucos se popularizando e entrando para o guarda roupa de personalidades que vão de Arthur Conan Doyle, Winston Churchill e Audrey Hepburn.


   Uma peça unissex e democrática, após mais de um século desde sua criação, a estrutura básica se mantém a mesma. Sob a direção criativa de Christopher Bailey, o trench coat é revisitado a cada temporada, com novos tecidos, cortes, estampas e oferecendo a possibilidade de customização para seus clientes. A sua essência, entretanto, é a mesma.

Gostaram?
Imagens e texto da revista Elle.
Beijos de salto, Rafa.


Deixe um comentário